Você está visualizando atualmente Filtro de Ar no Buggy – Os 3 Tipos Mais Conhecidos
Filtro de Ar no Buggy

Filtro de Ar no Buggy – Os 3 Tipos Mais Conhecidos

Filtro de Ar no Buggy

Tipicamente, os buggies têm motores expostos, seja ele o boxer do Fusca ou os mais modernos com refrigeração líquida.  Com isso, também captam muita sujeira do ambiente. Principalmente nas praias e dunas.

Adicionalmente, o local do filtro de ar no buggy, em motores com carburação simples, também não é dos melhores. Com carburação dupla, pode ser ainda pior, pois estão próximos das rodas, que insistem em jogar sujeira para eles.

Tipos de Filtro de Ar

1. A Banho de Óleo

Nos primeiros Fuscas brasileiros (aliás em todos os carros até o final da década de 60), o filtro de ar era a banho de óleo. Uma palha de aço embebida em óleo de motor e uma “bacia” com óleo, capturavam as partículas de pó, antes de entrarem no motor.

Este é um filtro de boa eficiência mas que, em carros que andam em locais de muita poeira (e areia) acabam saturando muito rapidamente e perdendo eficiência. Portanto, filtro de ar no buggy a banho de óleo não é uma boa ideia, principalmente para os que não querem fazer o sujo trabalho de limpeza após uma trilha ou passeio.

A necessidade de constante limpeza e o uso de óleo de motor encarecem muito a manutenção, além de criar um problema para o descarte do óleo. 

A limpeza, em situações normais, era feita a cada troca de óleo o que, no Fusca dos anos 60, era feita a cada 2.500km (sim!) com óleo SAE 30, que multiviscoso é coisa modernosa. 

Mas, em uso severo, tanto a troca do óleo (que não tinha filtro) quando a limpeza do filtro de ar deveriam ser feitos em intervalos menores, algo em torno de 1.500km. Quer saber como colocar um filtro de óleo no boxer? O Planeta Buggy te mostra como.

A imagem a seguir mostra como um filtro a banho de óleo funciona. No fundo do corpo do filtro, há um espaço onde se coloca o óleo (o mesmo do motor) até um nível marcado na própria carcaça. No corpo do filtro acima, está uma malha de aço, embebida no mesmo óleo. O ar, ao passar pela malha embebida no óleo, deixa as partículas aspiradas no óleo.

Filtro de Ar no Buggy

2. Com Elemento Seco

Lá pela década de 70, começaram a aparecer os primeiros filtros de ar com elemento seco (de papel), nos Fuscas e as coisas começaram a ficar mais limpas! 

Filtros de papel são muito eficientes, desde que sejam trocados regularmente e não tenham “vazamentos” de ar na carcaça do filtro. 

Na manutenção, esqueça o ar pressurizado, que pode acabar estragando o papel e abrindo caminhos para a sujeira entrar no motor. Uma batidinha é suficiente para tirar o excesso de pó. 

Um cuidado importante é o tamanho do elemento filtrante. Pequeno demais pode estrangular o motor e causar aumento de consumo.

Na primeira foto da galeria a seguir, vemos um filtro utilizado em carburação dupla, sobre um carburador simples. Ele foi projetado para filtrar o ar de apenas dois cilindros e está lá, filtrando o ar de quatro.

Mesmo que tenha sido superdimensionado para o uso original, muito provavelmente está estrangulando o motor.

Se o elemento filtrante estiver muito sujo, troca! Se aparecer sujeira pelo lado de dentro, troca! Se a borracha de vedação estiver estragada, mordida pela carcaça, troca!

Manter um filtro limpo é muito importante e barato, se considerar o estrago que um filtro avariado pode fazer. 

Alguns exemplos de Filtro de ar com elemento seco na galeria a seguir. Na primeira foto, um filtro pequeno que talvez não seja adequado para o motor. Nas seguintes, o tradicional do Fusca, um sem proteção lateral e um de Corcel (CHT). As capas de proteção não estão ali para bonito. Um filtro sem a proteção lateral estará mais exposto e, portanto, poderá acumular sujeira e perder performance antes do esperado. O João Pedro alerta para o fato de que também pode molhar  e, claro, perder a eficiência.

3. Filtro de Ar no Buggy, estilo “Esportivo”

Este é um tipo de filtro de baixa retenção, pois é fabricado para motores de alta performance e que vão andar em ambientes relativamente limpos.

Usar um destes em trilhas ou na praia (ou mesmo na cidade poluída), é mau negócio, pois irão passar partículas de tamanho suficiente para detonar o motor.

No forumeiros, o Daniel Farina explicou o porquê de não usar este tipo de filtro:

“Eu desaconselho o uso dos filtros esportivos. Eu tinha no meu buggy e ,depois de um passeio com poeira, tirei o filtro para uma ligeira olhada e qual não foi a surpresa… o coletor cheio de terra… nunca mais uso esse tipo de filtro, só uso o da Kombi“. Farina também cita que o da Kombi é um dos melhores, pois tem um ciclone antes do ar chegar ao elemento filtrante, que já segura as partículas maiores.

Localização e Proteção do Filtro de Ar no Buggy

A localização e a proteção do filtro de ar no buggy é muito importante. Em carros “normais”, o cofre do motor é fechado, tendo algumas entradas em pontos estratégicos para a condução do ar até o filtro. 

Nos Fuscas, esta entrada era sob o vidro traseiro e no Fuscão, também na tampa traseira.

Com isso, o ar que chega ao filtro é relativamente limpo, mesmo quando se está transitando em uma estrada não pavimentada.

Agora, em um buggy, com todo o motor exposto, a conversa é outra. Toda a sujeira do ambiente está na volta do motor também.

Então, duas coisas são importantes a se considerar: a localização e a proteção do filtro de ar no buggy.

Localização no Cofre do Motor

Importante que, além das manutenções periódicas, o filtro esteja em uma localização que concentre o mínimo possível de sujeira, ao mesmo tempo em que consiga aspirar o ar do ambiente, livremente.

No buggy Baby com motor boxer do Daniel Lima, a solução encontrada para reduzir o problema da sujeira dos pneus, foi colocar uma proteção de fibra de vidro entre os carburadores e as rodas.

Nas fotos, aparece ainda um espaço sob a proteção, porque o Daniel levantou a fibra e ainda não ajustou estas abas.

É uma solução que simula a proteção do cofre do motor do Fusca. Ainda resta a sujeira sugada pelo efeito causado pelo deslocamento do carro. Nestes casos, uma vistoria frequente dos filtros pode indicar – ou não – a necessidade de uma proteção melhor.

As fotos mostram o carburador sem filtro, pois ele estava em manutenção.

Filtro no Motor de Refrigeração Líquida

Neste aspecto, não há diferença alguma entre os motores. O ar precisa ser limpo antes de chegar ao carburador (ou injeção, se for o caso). A diferença será na localização da entrada do ar e, eventualmente, nos caminhos definidos para ir do filtro até a admissão. 

O FerCar do Chevas veio sem o filtro (!!!) e foi preciso fazer uma adaptação, colocando um filtro de Fusca, ligado ao carburador com um tubo do Fiat Tipo e adaptando um suporte.

Saber qual o tubo é o mais indicado não é complicado. É ir em uma loja que venda e testar. Talvez seja preciso ligar dois tubos diferentes para ter seu filtro na posição desejada.

As fotos a seguir mostram a adaptação no buggy do Chevas. A captação do ar se dá no sentido contrário das rodas. 

Fora do Cofre, mas sem Snorkel

É possível montar o filtro de ar fora do cofre do motor, para ter uma melhor qualidade do ar a ser filtrado. 

Abaixo duas opções, a primeira um filtro de CHT dentro do buggy, onde seria o encosto do banco traseiro.

A seguinte, do Velho’73, com o filtro em cima da traseira, que não tem um capô móvel. Depois de levantada a carroceria, sobrou espaço para um filtro diretamente sobre o carburador. Como o Velho não se aventura mais em trilhas e dunas, está perfeito. Para não ter que fechar o furo, deixei a tampa deste filtro no lugar.

Em ambos casos, há um tubo flexível entre o filtro e o carburador. No Velho’73, uma luva de PVC serviu para a montagem do sistema.

O problema deste tipo de posição é o barulho, que pode ser irritante.

Snorkel

Para buggies que andam frequentemente em trilhas e dunas, uma ótima opção é o uso de um snorkel, que nada mais é que a tomada de ar elevada, bem comum em jipes.

Neste sistema, o barulho da sucção do ar fica muito atenuado. Mas se tens um buggy onde o visual é importante, vê como fica antes de instalar e fazer buracos. Não é qualquer modelo de buggy que fica esteticamente bem com este tipo de equipamento.

As fotos a seguir mostram o buggy do Ricardo Torres, com filtro de ar da Kombi e com a tomada de ar ligada ao snorkel. A saída do snorkel para trás, para não pegar chuva. 

Ricardo faz um alerta, quando comprar o filtro de ar da Kombi, pede junto o suporte que, em alguns revendedores, é vendido separadamente.

Colaboradores

Colaboraram com esta postagem sobre filtro de ar no buggy, Daniel Farina, Daniel Lima, Marlon Von Rohrbach,  Ricardo Torres, André Lehn (Chevas), João Pedro Ruimata e o Velho’73.

O Que Mais Tem no Planeta Buggy sobre Mecânica

O Planeta tem uma página índice sobre vários tópicos sobre mecânica e manutenção de buggies que podem ser feitas na própria garagem. Clica na imagem a seguir

Este post tem 2 comentários

  1. Beco

    Sempre ajudam! Sem teus comentários e outros abnegados, seria bem complicado manter este site. Aliás, seria impossível.

  2. Chevas

    Hehe, legal saber que os meus percalços com o buggy ajudam…
    []’s

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.