Tipos de Buggies

O Planeta, neste espaço, está classificando buggies, de acordo com o tipo de carroceria e o uso. Todos estão livres para discordar, mas acreditamos que está muito perto do que realmente aconteceu e acontece no mercado de buggies brasileiro.  De qualquer maneira, serve como suporte a uma conversa de bar, discutindo bobagens!

Classificando Buggies pelo tipo de carroceria

1. Fiberglass Dune Buggy – Carroceria de Fibra de Vidro

O Planeta começa classificando buggies pela categoria mais importante, o “Fiberglass Dune Buggy”, também conhecido como “bugue”. Este é o tipo de buggy preferido pelo Planeta, mas não é o único, claro.

O Exemplo de fiberglass Dune Buggy mais importante é, sem dúvida, o primeiro Manx fabricado, hoje conhecido como “Old Red” (foto abaixo), cuja história mostramos em mais detalhes nesta página, aqui no Planeta. Na verdade, o Old Red é o número 4 na fabricação e montagem dos Manx I, que eram monoblocos e não utilizavam a plataforma do Fusca.

Classificando Buggies - Old Red
Old Red - o primeiro fiberglass dune buggy!

A fábrica do Manx, depois de enfrentar dificuldades pela concorrência desleal em todo mundo, fechou, reabrindo há alguns anos, fabricando buggies modernizados, mas ainda com o velho estilo californiano. Os kits fabricados atualmente estão mostrados na galeria abaixo.

Os dune buggies brasileiros, no início, seguiram o estilo californiano do Manx mas, em seguida, começaram a criar um estilo próprio, apesar de manter o apelo do carro ágil, simples e leve. Entre as dezenas de modelos de fiberglass dune buggy fabricados no Brasil, o Planeta destaca alguns na galeria a seguir. Nas constantes atualizações do site, o Planeta está montando uma análise um pouco  mais detalhada dos modelos de buggies brasileiros mais tradicionais. Começando com o Glaspac. Em breve teremos outros.

A Versatilidade da Fibra de Vidro

A relativa facilidade de se trabalhar com fibra de vidro, fez com que muitos empresários resolvessem se lançar no mercado. Nem todos com qualidade, claro, mas resultou em um imenso número de buggies em todo o mundo.

No Brasil não foi diferente. O Planeta catalogou vários buggies extintos, mas não chegou nem perto do número real. Algumas empresas ficaram em poucas unidades, enquanto outras simplesmente copiavam modelos de sucesso, o que dificulta qualquer tentativa de descobrir as origens reais de alguns buggies.

2. Buggy Gaiola (sand rail ou rail buggy)

O Planeta Buggy classifica como gaiola, um buggy construído com chassi de tubos que servem também de carroceria, normalmente para duas pessoas, podendo ser monoposto. Há modelos com motorização VW ar ou água (AP), mas, na maioria das vezes, a caixa e as suspensões são do Fusca. Também existem algumas gaiolas fabricadas com a plataforma do Fusca, reforçada com estruturas tubulares, mas este tipo é raro nas montagens atuais, pela dificuldade de licenciamento.

Na página antiga do Planeta

Quando o Planeta fez, em 2001, a primeira página de classificação de buggies, a Colella já era o exemplo que o Planeta apresentava. A Colella ainda está operando e produzindo gaiolas de alta qualidade, como a da foto a seguir, produzida para a Marinha do Brasil, para apoio no transporte de feridos. Um buggy ambulância!

Classificando Buggies - Buggy Gaiola By Colella
Gaiola Colella fabricada para a Marinha do Brasil

3. Fusca Baja – Baja Bug

Seguindo classificando buggies, este é o que poderia ser categorizado como um Fusca aprimorado para trilhas. O princípio básico é a colocação do conjunto de rodas e pneus maiores, para aumentar o vão livre e permitir mais autonomia nas trilhas.

Mas isso não é possível em um Fusca, pois não há espaço nos paralamas. A solução é colocar paralamas recortados, que permitam a colocação de pneus maiores e mais largos.

O passo seguinte, é melhorar os ângulos de entrada e saída, para permitir galgar obstáculos sem quebrar nada… Daí, os recortes feitos na lataria do Fusca, na dianteira e na traseira. Como estes recortes modificam o desenho do carro, torna-se necessário adaptar novos capôs dianteiros e traseiros.

Estas coisas todas são possíveis de serem feitas diretamente na lata do Fusca, sem o uso de nenhum tipo de kit. Mas as empresas do ramo perceberam que estes kits, além de facilitarem o serviço, também deixavam o carro muito mais bonito.

Com todas estas modificações nos Fuscas, surgiu o Baja Bug, que tem este nome por ter sido desenvolvido na Baja California e por ser um Bug (Fusca para os gringos) adaptado. Por aqui é mais conhecido, na maioria das vezes, como Fusca Baja.

Um grupo interessante, no Facebook, é o do Fusca Baja Brasil. Dá uma olhada por lá!

Atualmente, se consegue licenciar um Fusca Baja?

Existe muita polêmica, nas redes sociais do Planeta Buggy sobre a possibilidade de legalizar o licenciamento de um Baja. Por isso, antes de fazer algo no Fusca, consulta um bom despachante credenciado no Detran do teu estado. Melhor prevenir que tentar remediar.

Exemplos de Fusca Baja

Na página antiga do Planeta Buggy, existem muitos bajas, cada um melhor que o outro! A galeria a seguir, mostra alguns exemplares, mas para saber detalhes de cada um e mais vários deles, dá uma olhada por lá, clicando aqui.

Como Fazer um Baja

A foto a seguir, mostra um detalhe da montagem do USA Baja, que está aqui no Planeta. Dá uma olhada que as soluções desta montagem podem auxiliar até mesmo na montagem ou manutenção do teu buggy “normal”.

Parafusos de inox prendem a asa do Baja
Foto da página gringa que mostra, em detalhs, como montar um Fusca Baja

Classificando Buggies pelo tipo de uso

1. Buggies de Passeio (street)

Na classificação de buggies de passeio, o Planeta reconhece que os melhores exemplos estão no grupo Sampa Buggy, mostrados na foto abaixo, em Plena Av. Paulista.

É um buggy com bom visual, sem nenhuma preparação para enfrentar caminhos difíceis. É o buggy de cidade ou da orla marítima, que não encara as dunas e trilhas. É mais confortável, podendo ter um estilo familiar ou esportivo.

Como não há expectativa de sujeira em trilhas e dunas, estes buggies apresentam um visual com pinturas polidas, cromados, rodas e pneus brilhantes. Atualmente, o Velho’73 (o buggy “oficial” do Planeta) tem um estilo street, embora não tão cuidado…

Classificando Buggies - street
Buggies na Av. Paulista - Sampa Buggy

2. Buggies de Competição

Buggies, geralmente gaiolas, utilizados em auto-cross, mas também buggies “normais”, adaptados para competição. Tem motores e suspensão preparados, além de serem muito reforçados. Estes veículos têm todas as características necessárias e exigidas para competição: bancos fixos, gaiola de proteção, cintos de quatro pontos (no mínimo) e, normalmente, não andam nas ruas, dispensando os ítens obrigatórios (estepe, pára-sol, etc). Foto do buggy Cobra do Zé Maria Zoada (fabricante do Cobra), em um rally no RN.

Classificando buggies - competição
Buggy Cobra em rally - Zé Maria Zoada

3. Buggies de Areia – Dune Buggy

É o legítimo “Dune Buggy”. Em nossa classificação de buggies, é semelhantes aos de passeio, mas com pneus adequados, filtro de ar mais protegido da areia e santoantônio “de verdade”. O motor pode ser standard e a caixa mais reduzida que o fusca normal (kombi ou as antigas do 1300). As rodas traseiras de um dune buggy, devem ser mais largas (até mais de 10″), com pneus especiais de baixa calibragem, para permitir uma melhor “flutuação” do buggy na areia. A foto a seguir, foi a escolhida para “Foto do Mês” em dezembro de 2005.

 

Classificando buggies - Areia!
Dune buggy em seu habitat natural

Atenção com a manutenção

Estes veículos, assim como os de trilha, que veremos a seguir, precisam ter manutenção adequada, principalmente após os passeios (graxa na suspensão, óleo, filtros, etc). A verificação da graxa dos rolamentos, troca de óleo e demais itens de manutenção, deve ser mais o mais frequente possível. Quer saber quais os cuidados com a manutenção de buggies? Visita esta página! A suspensão de um dune buggy pode ser a mesma do fusca, que é bastante resistente.

4. Buggies de Trilha

É um veículo praticamente igual ao Dune Buggy, mas sem os pneus lisos e largos e com proteções contra galhos e mato. As rodas traseiras devem ser mais estreitas que os de areia (até 8″), com pneus adequados – normalmente os utilizados por picapes – para melhor proteção do aro, que deve ser, preferencialmente, de ferro. É importante observar que os buggies, para serem utilizados em trilhas, devem contar com protetor de cárter e caixa, protetor da suspensão dianteira e suspensão mais reforçada que o de passeio. Esta foto é da Expedição Nirvana.

Classificando Buggies - Trilha
Expedição Nirvana - Deserto de Atacama

Finalizando

Este texto não esgota o assunto. Claro que existem múltiplos usos para buggies, inclusive para cargas, publicidade, artesanais e muito mais. Mas uma coisa todo buggy divide entre si: a diversão. É um carro divertido, que não economiza sorrisos por onde passa e que tem o slogan, dado pelo “pai” dos buggies como os conhecemos, Bruce Meyers: “more smiles per mile”, algo que poderia ser traduzido como “mais sorrisos por quilômetro”, pois por onde passa, não há impassividade!

Este post tem 3 comentários

  1. Beco

    Pequena atualização ontem, 13 de maio de 2020. Sempre que alguém encontrar alguma informação errada, desatualizada ou faltando, pode fazer o comentário aqui mesmo – e em qualquer outra página . Afinal, somente seremos uma referência em buggies brasileiros, se mantivermos atualizações constantes.

  2. Lucas

    Não temos no Brasil, mas fazem parte da história o Tunnel Buggies e os pré historicos Water Pumper Buggies.

    Sobre os bajas achi interessante mencionar que os classe 11 que participam da Baja 1000.

    SCORE Class 5: Unlimited Baja Bugs.
    SCORE Class 5-1600: 1600cc Baja Bugs.
    SCORE Class 11: Stock VW Sedans.
    SCORE Lites Class 12: VW limited open-wheel single-(1776cc) or two-seaters(1835cc)

Deixe uma resposta