You are currently viewing Buggy Baby do Alexandre Damasceno – TST
na Lagoa de Juturnaíba

Buggy Baby do Alexandre Damasceno – TST

Buggy Baby do Alexandre Damasceno do Rio de Janeiro

Em 2004, o Alexandre mandou fotos e um relato sobre seu Buggy Baby TST. O modelo com santoantônio tubular ficou conhecido como Buggy Baby TS, enquanto este, com santoantônio de fibra de vidro, ficou batizado como TST (o último T para “targa”), lançado no Salão do Automóvel em 1986.

Esta targa serviu para um novo modelo de capota de lona, podendo ser utilizada em partes, sobre os bancos dianteiros, os traseiros ou todo o buggy, com sanefas (janelas) flexíveis.

Conheça o Buggy Baby do Alexandre, modelo TST:

Caro Carlos do Planeta Buggy

Saudações e parabéns pelo ótimo site. Meu nome é Alexandre Damasceno e moro na cidade do Rio de Janeiro. O Planeta buggy foi de grande ajuda no momento em que tive que decidir entre comprar um Jeep ou um Buggy. Na época estava muito inclinado a comprar um carro “forte e que marcasse presença”…

Foi no Planeta Buggy que apurei as informações que me ajudaram a optar pelo Buggy. Fiquei sabendo o quanto esses nossos carros são fortes, resistentes e com custo de manutenção tão baixo quanto o meu salário, ao contrário dos Jeeps.

Adquiri o Meu Baby, modelo TST (1996) em junho do ano passado (2003). O veículo doador foi um fusca ano 1972. O motor deu um bocado de trabalho para ser identificado mas agora sei de que se trata de um VW 1.300 com “carcaça” de Variante ou TL. Essa estranha adaptação gerou um sério inconveniente: o local destinado ao sensor de pressão do óleo foi tampado, não sei por que cargas d’água, pelo antigo proprietário. Portanto, as verificações do motor e trocas de óleo (a cada 1.000 Km) são feitas com maior frequência que o normal já que consequentemente a luz vermelha no velocímetro, que indicaria falha na pressão do óleo, jamais acenderá nessas condições. As rodas são de magnésio, aro 14 na dianteira e 15 na traseira com Pneus 9L15, Big Foot da Maggion.

Esse veículo não tem nenhum acessório especial, a não ser um rádio PX e uma antena para a faixa do cidadão. A propósito, a instalação desse tipo de antena foi um pouco trabalhosa, uma vez que a fibra de vidro não é uma boa condutora elétrica. Caso haja interesse posso enviar os detalhes da instalação desse tipo de equipamento. (Nota do Planeta: seria interessante, sim. Vamos ver se o Alexandre pode nos passar esta informação, com fotos).

Por ora, estou enviando somente essas duas fotos. Uma foi tirada na lagoa de Juturnaíba, Distrito de São Vicente, em Araruama, aqui no Rio. Trata-se de um local muito bonito e pouco conhecido. Vale a pena encarar 12 Km em estada de barro, desde o Centro de São Vicente até a lagoa.

A outra foto (a que mostra o carro sozinho) foi tirada na Praia do Hospício, também no município de Araruama/RJ.

Já fui para vários outros lugares com o Buggy, como por exemplo, Casemiro de Abreu, Sana, Búzios, Cabo Frio dentre outros. Sempre acompanhado pela minha namorada Janaína. Infelizmente, essas fotos foram perdidas, mas prometo enviar mais fotos sobre as próximas aventuras.

Um forte abraço e obrigado por tudo.

Alexandre Damasceno

Um Recado do Buggyman

Sempre fico muito feliz com depoimentos como este. São, normalmente, exagerados, mas mostram o carinho que muitos têm pelo Planeta Buggy nos últimos 20 anos. Mesmo com os percalços no caminho, acho que o Planeta Buggy ainda merece um tempo nas trilhas e dunas do Brasil.

Este é o Buggy Baby do Alexandre. Esperamos novas fotos, depois de mais de uma década…

Visita a página da Buggy Baby, que ainda está em operação, juntamente com a Bugre, no Rio de Janeiro.

Além do Buggy Baby do Alexandre, tem mais no Planeta (clica na imagem)

Deixe um comentário