Qual graxa? Tipos e Usos de Graxas nos Buggies
Engraxadeira manual

Qual graxa? Tipos e Usos de Graxas nos Buggies

  • Post author:
  • Post published:21/03/2021
  • Post category:Mecânica
  • Post comments:0 Comentários
  • Post last modified:22/03/2021
  • Reading time:12 mins read

Tipos e usos de graxas

Existem inúmeros tipos de graxa, mas vamos ficar na única que nos interessa, a graxa de lítio.

Esta graxa apresenta estabilidade em temperaturas altas, é resistente à água e tem boa aderência. É a mais usada em veículos.

Existem inúmeros tipos de graxas de lítio, também. No entanto, para o uso em um buggy, as graxas não precisam ser de alta performance, já que é um carro de projeto bem antigo. Então, fica na mais barata, de uma boa marca, que vai ter o mesmo efeito de outra mais cara.

Onde se usa graxa em um buggy?

Raramente o dono de veículo moderno precisará se preocupar com o uso de graxa. Um buggy, no entanto, por ser derivado do Fusca, tem graxa em vários locais, que precisam ser monitorados e lubrificados, com certa frequência.

No Quadro da Suspensão Dianteira

Todos os Fuscas e seus derivados, tem uma suspensão dianteira com barras de torção internas, que necessitam estar bem engraxadas para seu bom funcionamento.

> Nos tubos da suspensão

Em cada um dos dois tubos, existe uma graxadeira em cada lado, totalizando quatro ao todo. Graxadeiras são pequenas peças com uma esfera e uma mola, que permitem a entrada de graxa sob pressão, mas não permite sua saída. São encontradas facilmente em qualquer loja de peças. Se não encontrar, procure em lojas de peças de tratores e implementos agrícolas.

> Nas articulações da suspensão

Apenas os Fuscas mais antigos tem este tipo de graxadeiras. Nos mais modernos e nos derivados de Brasília, a suspensão é com pivô e não tem as graxadeiras.

Nos que têm, são quatro ao todo, duas de cada lado.

A foto abaixo mostra a posição destas graxadeiras. Nas extremidades dos tubos estão duas de cada lado. Neste buggy, como é um dos antigos, existem mais duas engraxadeiras de cada lado, ali nos braços da suspensão, próximo aos cubos de rodas.

:

Meu Buggy Glaspac 1972

> As graxadeiras

graxadeira - tipos e usos de graxas
graxadeira M8x1

A medida é M8x1 e é reta (existem graxadeiras com ângulo, mas não é o caso). É interessante comprar algumas antes de ir engraxar em algum posto (ou na garagem).

É comum elas travarem e são muito baratas, não convém querer recuperar. Em Fuscas e Brasílias com suspensão de pivô, são apenas quatro, nos tubos da suspensão, nos mais antigos, são oito.

> Cuidados ao Engraxar a Suspensão Dianteira

A melhor situação é elevar a frente do buggy, deixando as rodas no ar e os feixes de mola sem pressão. Desta maneira, é possível colocar a graxa em toda a extensão do tubo.

Engraxe até sair graxa nova nas extremidades. Sim, vai fazer uma enorme sujeira, pois a graxa velha vai sair. Então, se for na tua garagem, coloca jornais no chão, usa luvas e depois faz uma limpeza no quadro da suspensão.

Se for em um posto de serviço, normalmente não vai ser possível levantar a frente do carro, pois os elevadores modernos são rampas. Então, tenta movimentar a suspensão para cima e para baixo, enquanto o funcionário está engraxando.

A própria VW recomenda esta lubrificação a cada 5.000km. No entanto, é bom fazer isso sempre que o buggy passar em locais alagados, alguma trilha mais pesada. Ou no final do verão, quando ele é limpo para “encostar” na garagem.

> Tipos de Engraxadeira

Graxadeira é a peça que vai no quadro da suspensão e por onde entra a graxa. Engraxadeira é o equipamento utilizado para este serviço.

Nos postos, este serviço é realizado por equipamento pneumático. Mas é possível fazer em casa com equipamento manual. Um pequeno esforço para o bem do buggy! E em casa é possível levantar a suspensão para realizar melhor o serviço.

Atualmente, como carros modernos não tem mais graxadeiras, é mais difícil encontrar postos que fazem isso. Mas nos que trabalham com caminhões e máquinas agrícolas isso ainda é possível. Normalmente, cobram por ponto e é barato.

Existe um modelo bem simples, para 400-500g de graxa, pequeno para guardar em qualquer canto. E existe outro modelo manual com capacidade a partir de 4kg. Este parece mais adequado para pequenas oficinas.

A foto a seguir mostra o manual, pequeno. Tem diversos modelos e pode ser encontrado por valores a partir de 50 reais (em março de 2021)

Tipos e usos de graxas - engraxadeira
Engraxadeira manual

Na Caixa de Direção

Os Fuscas mais antigos usavam óleo SAE 90 na caixa de direção. Em 1967 ou 68, a VW passou a usar graxa nesta caixa, talvez por conta da preservação da lubrificação ao longo do tempo.

Esta caixa é selada e, em tese, não precisa de manutenção. No entanto, depois de uns 20 anos, não tem como esperar que a graxa esteja perfeita!

Um vídeo que o Planeta Buggy recomenda sobre a manutenção de caixas de direção é este do Leandro Coelho.

Além de mostrar como funciona a caixa de direção, ele mostra como fazer a lubrificação da mesma. Se tua direção está pesada, pode ser falta de lubrificação na caixa.

Neste caso, é possível tentar engraxar através das tampas plásticas que tem na parte superior da caixa. Retira as duas e, com o auxílio de uma seringa, injeta graxa de molibdênio, mais macia. Vai girando a direção para a graxa entrar no meio das engrenagens e confere o resultado. Com as rodas levantadas fica mais fácil de fazer este trabalho.

Nos Rolamentos Dianteiros

Este é um outro serviço que dá para fazer na garagem de casa. Mas, se for levar a um mecânico, é bom saber como é feito e até mesmo levar uma graxa de boa qualidade para ele.

Se for preciso a troca dos rolamentos, escolha uma marca de qualidade e esteja atento à loja onde comprar, pois existem muitas peças falsificadas neste mercado.

> Verificar folgas

Antes de mais nada, com o carro já levantado, verifica se existem folgas axiais no eixo, pegando o pneu com as duas mãos, uma na parte superior e a outra na parte inferior. Sacuda para sentir se há folga. Se tiver folga você vai escutar pequenas pancadas. Considere a necessidade de trocar os rolamentos, mas pode ser que se resolva apenas com a regulagem e a lubrificação.

O problema é que se ele circulou por muito tempo com folga, com certeza, terá danificado alguma coisa. E este é outro dos motivos que nos permitem dizer que a manutenção preventiva é necessária e muito importante.

> Trocando a Graxa dos Rolamentos

Este foi um tutorial escrito pelo Luizinho para o site antigo, que recolocamos aqui. Acompanhe o passo a passo.

Trabalho fácil de executar… o cuidado maior deve ser na hora da colocação (caso vá substituir) do(s) rolamento(s) novo(s), pois em casa, você terá de colocar com martelo. Já em uma oficina, o uso de uma prensa, elimina quase que totalmente a possibilidade de danos ao rolamento.

No lado do motorista, existe o cabo do velocímetro, que deve ser desconectado para sacar o cubo do eixo.

1) retire o pneu dianteiro;

2) solte a pinça de freio (cuidado para não rasgar a mangueira de óleo de freio). Nos mais antigos, com freio de lonas, esta etapa, claro, é desnecessária. Atenção, durante este serviço, não pise no pedal do freio – Teu filho pequeno está dentro do buggy? o risco existe!;

3) solte a presilha do cabo do velocímetro e puxe-o por trás da roda;

4) retire a tampinha que se encontra no centro do cubo (use um punção/chave de fenda larga e um martelo pequeno);

5) você verá nessa fase, uma porca que prende o cubo ao eixo. Essa porca possui um parafuso com cabeça do tipo allen, que deve ser afrouxado antes da remoção da porca. retire a porca. (nota do Planeta: em fuscas mais antigos, há uma trava metálica no lugar da trava allen. É bom substituir por esta, mais segura). Atenção ao detalhe: Na roda do lado motorista, o sentido da rosca é invertido “rosca esquerda”, ou seja, a porca solta quando virada no sentido horario. Se a pessoa não souber disso pode acabar virando a porca para a esquerda, apertando-a e acabar estragando a porca, a ponteira de eixo ou os rolamentos… (dica do Jorge Vila – SP);

6) retire o cubo inteiro;

7) com uma estopa (melhor ainda com auxilio de querozene/gasolina) remova a graxa velha do cubo (lembre-se, são dois rolamentos – interno e externo) juntamente com o retentor que fica do lado interno (esse deve ser jogado fora e substituído por um novo). Presta atenção na posição dele para a reposição correta, “molinha” pelo lado de dentro;

8) avalie o estado dos rolamentos – se esses mostrarem fissuras/ cavidades, substitua-os;

* para substituir os rolamentos:

Com a ajuda de um punção ou talhadeira, remova o rolamento (capa e miolo) do cubo e do eixo (cuidado para não ferir essas peças, pois isso certamente dificultará seu serviço de montagem). Grave a posição em que estão dispostas essas peças para remontar. Coloque as peças novas com pancadas leves e precisas (use a peça velha como separador – para receber as pancadas do martelo);

Com as peças novas no lugar (se for o caso da substituição):

9) complete os espaços vazios do cubo com graxa nova para rolamento. Faça essa parte do serviço com calma e critério… deixe o rolamento bem engraxado;

10) coloque o retentor novo no cubo;

11) encaixe o cubo no eixo, bem devagar e com todo o cuidado para não rasgar /amassar o retentor;

12) coloque a porca da ponta do eixo (aperte ao poucos, rodando o cubo para melhor acomodação da graxa);

13) chegando ao aperto ideal (o cubo gira e não possui folga), aperte o parafuso que prende a porca (allen). Uma dica: aperte suavemente até o cubo não girar e solte 1/4 de volta.

14) recoloque a tampinha do cubo (nessa colocação, você deve bater nos lados da tampa e ir girando o cubo, a fim de que essa tampa receba as pancadas em locais diferentes para acoplamento perfeito;

15) coloque o cabo do velocímetro e sua presílha;

16) coloque a pinça de freio (nota do Planeta: em carros com tambor – ainda existem, sim – poderá ser necessário recalibrar as lonas após colocar o cubo);

17) limpe o disco de freio, removendo a graxa deixada por suas mãos nele (aproveite para dar uma lixada no disco e nas pastilhas – use máscara);

18)aperte bem os parafusos que prendem a pinça;

19) recoloque a roda;

fim do serviço….

Atenção: ao termino do serviço, aperte o pedal de freio algumas vezes para assentamento das pastilhas, pois querendo ou não você afastou um pouco os cilindros que empurram elas cpntra o disco. Essa diferença nas primeiras pedaladas, pode causar um acidente.

Atenção: nem todas as vezes é necessário a substituição dos rolamentos. Somente quando os mesmos estão “roncando” ou apresentam desgaste acentuado!!!

Procure usar graxa específica. Particularmente, uso sempre aquelas que tem bissufêto de molibidenio como ingrediente, pois suportam melhor a água.

Esse serviço é fácil… expliquei demais e acabou ficando meio confuso!

Mas, complicação mesmo, é que esse serviço mexe com graxa velha… suja muito… se a patroa chegar no meio do serviço e ver a varanda cheia de graxa…

> Verificação após 50km

Depois de publicado este post, o Petrônio chamou a atenção para um cuidado importante. Após 50km do ajuste ou substituição do rolamento, verificar a folga dos mesmos e corrigir, se necessário, como mostrado no tópico “Verificar Folgas”, lá em cima.

Rolamentos Traseiros

Este será um assunto para um tópico exclusivo, mas é bom conhecer alguns detalhes.

Nos rolamentos traseiros não vai graxa como nos dianteiros. Ali, a lubrificação é feita com o óleo da própria caixa de mudanças, que vai pelo semi-eixo até o rolamento.

O que é preciso atentar, quando da manutenção preventiva, é verificar se tem algum tipo de vazamento neste ponto. Isso quer dizer que o retentor pode estar danificado e precisa ser substituído. Se isso aconteceu, é provável que o nível do óleo da caixa tenha baixado e precisa ser completado. Aliás, este é um dos pontos a ser conferido em nossa manutenção preventiva.

Outra providência importante, se houver vazamento, é a verificação das lonas de freio. Se estiverem contaminadas com óleo, o melhor é trocá-las.

Onde mais vai Graxa?

Em qualquer articulação pode ser necessária a lubrificação. A pedaleira, por exemplo, precisa ser lubrificada para ter funcionamento suave. Se estiver muito ruim, é possível desmontar e fazer uma limpeza e manutenção mais adequada. O Planeta Buggy mostra como pode ser feito isso, nesta postagem. Mas com uma graxa branca em spray, do tipo usado em correntes de motos, é possível fazer uma lubrificação nos pontos de articulação da pedaleira. E nos cabos de acelerador e embreagem.

E Onde Não Vai Graxa?

Bem, existe um local que não deve ser engraxado, embora tenha contato metal com metal. É a parte do cambão onde engata na bola da barra de tração. As articulações da munheca podem ser lubrificadas para que não emperrem ou sofram com a ferrugem. Isso pode ser feito com óleo spray, durante as manutenções preventivas.

No entanto, na bolota não deve ser colocado nenhum tipo de lubrificante, embora exista controvérsia. Saiba um pouco mais sobre rebocar um buggy no cambão, aqui no Planeta Buggy.

Colaboraram Nesta Postagem

O Luizinho, com o tutorial do engraxamento (em 2002!), Ulises Mastandrea, Gustavo Furlan, Petrônio Marques, Ricardo Mello.

Deixe uma resposta