Análise do EMIS
Emis cearense do Evilásio, nosso eterno "Bugólatra". Faróis de Fiat 147.

Análise do EMIS

Um pouco de história Nossa análise do Emis começa em 1980, no Rio de Janeiro, quando o empresário Eduardo MIranda dos Santos resolveu desenvolver seu projeto de buggy. Paulo Renha, o engenheiro que desenvolveu o triciclo Renha e o "Formigão", projetou o chassi do Emis, completamente diferente do que existia até aquele momento, mas mantendo o mesmo estilo do chassi do Fusca, em forma de túnel. No logo original do Emis, o pingo do "i" é o logo da Renha. Logo original do Emis O Triciclo Renha, projetado e fabricado por Paulo Renha, tem linhas que lembram a carroceria do Emis, principalmente na traseira. E ali está o logo dele, no encosto.…

4 Comentários

Emis Carioca – Márcio Glielmo

A Garagem do PlanetaA Garagem do Planeta apresenta o primeiro Emis a ocupar um de seus boxes virtuais. E um Emis tradicional, feito pela fábrica carioca, em 1984. Acompanha a história deste belo buggy, nas palavras do próprio Márcio.Buggy Emis Carioca 1971/84Sim, 1971/1984. Explico. A Emis foi uma fábrica de buggy no Rio de Janeiro da década de 80 que produzia um buggy diferente, mais baixo, mais esportivo.O feliz futuro proprietário podia escolher duas formas de encomendar seu brinquedo, completo com chassi tubular fabricado pela própria Emis ou levar qualquer VW com mecânica “a ar” para transformação. Pois foi essa a opção escolhida pelo primeiro dono do meu buggy. A partir de…

1 Comentário
Análise do BRM M3
Pequeno capô do motor

Análise do BRM M3

Os Buggies Clássicos do PlanetaA Análise do BRM M3 está sendo apresentada pelo Planeta Buggy, porque ele é um dos Clássicos do Planeta.O Planeta Buggy tem uma classificação muito própria de quais são os buggies clássicos brasileiros. É uma classificação que está sujeita a alterações ao longo do tempo, sempre que houver convencimento de que existem mais buggies que merecem ser considerados como Clássicos do Planeta. A BRM - Um Pouco de História Em 1969, quando os buggies apareceram no Brasil, Roberto Oscar Martini e outro sócio, montaram a BRM Buggy Rodas e Motores Ltda. Instalava-se em São Paulo uma das mais tradicionais empresas de buggies no Brasil, inicialmente  para montar buggies a partir…

7 Comentários

Perguntas Frequentes

Recados do Buggyman #25Neste "Recados do Buggyman", vamos tratar das perguntas mais frequentes que recebemos durante todo este tempo de existência. Se tiveres alguma ideia para acrescentar, coloca nos comentários lá embaixo!Perguntas FrequentesBuggy pode circular em rodovias?Esta é uma das perguntas mais frequentes. A resposta é simples, sim, não há problemas na circulação de buggies em rodovias, desde que esteja, como qualquer veículo, devidamente licenciado (precisa constar "buggy" nos documentos) e tenha os equipamentos obrigatórios.No documento, podem existir algumas variações, como estar no "espécie/tipo" ou no campo de observações. O a seguir é um exemplo. Repare que herdou do carro doador inclusive o número de passageiros, que implica em mesmo número de…

2 Comentários

O Nascimento do Planeta Buggy

Recados do BuggymanO Nascimento do Planeta BuggyDepois de investigar bastante nas bases de dados históricas da Web, encontrei a data da primeira publicação do Planeta Buggy, no Geocities, uma ideia interessante de rede social, onde existiam bairros e numeração de cada "lote". O "Dune Buggy Brasil" ocupava o lote 1288 do bairro "Motorcity".Em 15 de janeiro de 1999, começava a gênese do Planeta Buggy no Geocities. O nome "Planeta Buggy", apareceu em setembro do mesmo ano, ainda no Geocities e foi criado pois precisávamos dar uma cara ao site e "Dune Buggy Brasil" era muito genérico. O nome "Planeta Buggy" apareceu quando vi um episódio do Planeta Xuxa... Daí, Planeta Buggy pareceu…

3 Comentários
Análise do Bugre II
Logo atual da Bugre

Análise do Bugre II

Análise do Bugre II - Um Clássico do Planeta Buggy Continuando a série de análise de buggies brasileiros, o Planeta apresenta sua segunda análise, o Bugre II, outro dos Clássicos do Planeta. A Bugre é uma empresa carioca que está no mercado desde 1970  até os dias de hoje. Seu modelo de maior sucesso (na visão do Planeta), é o Bugre II, lançado em 1972, posteriormente aprimorado passando a ser chamado de Bugre IV.  Um fato interessante, lembrado pelo Cristiano, é que os buggies da década de 70 e até 80, mantinham o ano de fabricação do carro doador. Assim, é comum encontrar buggies com ano de fabricação anteriores à própria existência…

7 Comentários

Análise do Glaspac

Análise do Glaspac Com este post, o Planeta inaugura um novo cantinho para os aficionados: a análise - superficial, provavelmente - dos buggies brasileiros. Não é intenção chegar ao detalhe de estilo, que não temos formação para isso, mas apenas sob o olhar de alguém apaixonado por buggies.  E isto nos leva a outro ponto deste espaço. Precisamos que os proprietários de buggies mandem suas ideias sobre seus próprios buggies, o que gostam, o que não gostam, o que poderia ser (e, eventualmente foi) melhorado. Mas sempre focando nos detalhes originais do buggy, como ele foi projetado e fabricado. Claro que este primeiro post só poderia ser feito com o Glaspac, que…

6 Comentários

Velho’73

Um Glaspac 1972 Parece estranho um buggy 1972 ter o apelido de Velho'73? Bom, 1973 é o ano em que ele foi comprado por mim... e ele tem a data de fabricação e ano/modelo do carro doador, um Fusca 1969. Era assim que os buggies eram licenciados, com os detalhes do carro doador e com espécie/tipo "pass/automóvel/buggy". Na marca/modelo, "VW/Glaspac". E, também por isso, ele continua com a capacidade de cinco passageiros e, consequentemente, tem cinco cintos de segurança. Pequenas alterações na identidade visual do Glaspac foram feitas ao longo destes anos todos. Na dianteira, foi eliminado o vinco central do capô, os paralamas foram cortados e, nas extremidades do capô, uma…

5 Comentários