Nos anos 70 e 80, os consumidores brasileiros não tinham acesso a carros importados e, principalmente, esportivos. Daí, a febre dos fora-de-série e, na esteira deles, os buggies.

Neste ano de 1983, eram tantos buggies à disposição do mercado, que foi feita uma reportagem especial com eles. Divirta-se, talvez o teu buggy esteja entre estes!

Transcrição da matéria (com a grafia da época)

BUG. ENCONTRO COM A LIBERDADE

São carrinhos geralmente baratos e bem resistentes, para levar você onde sua liberdade escolher. Nas páginas seguintes, você encontra as características, preços e endereços para comprar este carro de verão. Depois, é só tirar a capota para sentir no corpo o calor do sole e a carícia do vento.

Reportagem de Vicente Alessi Filho – Foto de Paulo Rocha – Desenhos de Erkki Bohm – Produção de Carmem Ferreira

ANGRA

O Angra, fabricado pela Angra Indústria e Comércio de Carrocerias Ltda., no Rio, é um bug tradicional em sua aparência e construção: usa motor e plataforma Volkswagen (do Fusca, Variant, TL, Karman Ghia ou Karman Ghia TC, Brasília e SP2). Sua carroceria é de fibra de vidro, com santoantônio feito em tubo de aço e o pára-brisa pode ser dobrado sobre o capô.

Se quiser um Angra pronto para rodar, você gastará Cr$ 1.400.000. Fornecendo a mecânica, você pode baixar o preço para Cr$ 9000.000. E também existe a possibilidade de comprar o kit de carroceria, para montá-la e pintá-la em casa, dessa maneira, vocês gastará menos ainda: Cr$ 600.000.

Comprando o bug pronto, o prazo de entrega é de 25 dias.

ANGRA ESPECIAL

Produzido pelo mesmo fabricante do Angra, o Angra Especial lembra mais um automóvel esportivo fora de série do que um bug: tem um santoantonio tipo targa, com revestimento de fibra, que se transforma num prolongamento da carrocei e, ao contrário do Angra, seu pára-brisa é fixo.

As características de construção são as mesmas do outro: carroceria em fibra de vidro, motor Volkswagen refrigerado a ar e plataforma de qualquer modelo Volks que use motor traseiro (com exceção da Kombi).

Pronto, o Angra Especial custa Cr$ 1.700.000. fornecendo a mecânica, você economiza Cr$ 400.000 e, se quiser montar o bug por sua própria conta, compre o kit: custa Cr$900.000. O prazo de entrega do Especial é 45 dias.

BABY

Uma carroceria de resina de poliéster reforçada com fibra de vidro, motor Volkswagen refrigerado a ar e uma plataforma da mesma marca são os principais componentes do Baby, um bug que custa Cr$ 1.600.000. O motor é retificado e as outras partes passam por uma revisão. Por isso, a fábrica da para o carro uma garantia de 15.000 quilômetros ou três meses (o que acontecer primeiro).

Se você tiver, por exemplo, um velho Fusca que queira transformar num buggy, gastara menos: Cr$ 900.000. Não será possível apenas comprar o kit para montar e pintar o carro em casa: a fábrica só o fornece para sua rede de revendedores. O prazo de entrega é 60 dias. Entre os opcionais há pintura metálica, pneus e aros largos, pneus radiais e pára-brisa dégrade.

BRM M6

A BRM é a única empresa que produz os chassis de seus bugs, ao invés de uma plataforma Volkswagen: são formados de túnel central e de longarinas de aço tubular. A carroceria, como nos demais, é de fibra de vidro; suspensão e motor são de Brasília (na versão a álcool o motor é da Kombi) e o câmbio é o do Fusca. O modelo M6 tem faróis embutidos nos pára-lamas e santoantônio duplo e é vendido nas versões luxo e standard. Com mecânica zero km, eles custam Cr$ 5.400.000 e Cr$ 4.420.000; com mecânica apenas revisada, Cr$ 4.300.000 e Cr$ 3.340.000; os kit custam Cr$ 2.890.000 e Cr$ 1.620.000. A entrega demora no máximo 5 dias.

 

Informações interessantes

Nesta matéria, algumas informações interessantes para os curiosos de plantão. A Tander Car (Glaspac) ainda fabricava seus buggies em 1983. A BRM era a única que fabricava buggies com chassi próprio e não utilizava a plataforma do Fusca (ou Brasília). Interessante, o Selvagem, o Emis e o Baby também usavam a plataforma VW. E a 4Rodas chamava os carros de “bug”!

A Imprensa como base de pesquisa

Em qualquer setor, as matérias da imprensa servem como um termômetro pontual, que mostra um pouco da realidade de determinada época. No caso dos buggies não é diferente e o Planeta tenta colocar mais informações de época nestas páginas. Se tiveres uma revista contando alguma coisa sobre buggies em qualquer época, escaneia e manda para o Planeta. A contribuição será devidamente registrada!